close
Precisamos Falar sobre

Precisamos Falar Sobre… Brody Dalle

brody-dalle

Nascida em 1 de janeiro de 1979 na terra do canguru e do ornitorrinco (Austrália seu burro!), Bree Joanna Alice Robinson, artisticamente pelo nome de Brody Dalle, veio ao mundo pra mostrar que o caminho trilhado na música nem sempre segue um plano.

Responsável por uma das maiores bandas de punk feminino do mundo, um projeto experimental de indie rock e uma carreira solo impecável, a cantora participou de grandes discos, como Death by Sexy do Eagles of Death Metal…Like Clockwork, Lullabies to Paralyze Era Vulgaris, ambos Queens of the Stone Age. Por esse e vários outros motivos, realmente precisamos falar sobre Brody Dalle.

Um início Punk

O trajeto musical de Brody teve seu início aos doze anos. A paixão por Cyndi Lauper Beatles despertou nessa época, razão na qual motivou a pequena garota a aprender a fazer música.

Aos treze já estudava no Rock’n’Roll High School, e ali iniciou sua primeira banda: a Sourpuss, inspirada pelo punk britânico e o grunge. Graças à rede mundial de computadores, muito desse material pode ser encontrado no Youtube.

Entre um e outro show pela movimentada cidade de Melbourne, Brody Dalle conheceu ninguém menos que Tim Armstrong (Rancid).  Os pombinhos acabaram se apaixonando e depois de alguns anos, após a cantora adquirir seus 18 anos, se casaram e foram morar em Los Angeles. Se tornaria agora Brody uma dona de casa e mãe exemplar? De forma alguma! Los Angeles foi o estopim para o surgimento de uma das maiores bandas de punk feminino mundial: A The Distillers.

Do Punk ao Grunge: The Distillers

Iniciada em 1998, a era The Distillers é considerada uma das melhores fases da cantora. Com uma voz única, Brody Dalle e sua banda fizeram parte de um cenário indefinido, sonoramente preso entre o punk e o grunge (apesar do visual de Brody na época ser extremamente punk). Dentre as bandas que fizeram parte desse grupo, temos a Hole de Courtney Love e a cantora britânica Pj Harvey.

The Distillers rendeu três álbuns de estúdio, participações nos maiores festivais da época. Tudo isso em um curto período de quase 8 anos (1998-2006).  Em 2003, a cantora anunciou seu divórcio com Tim Armstrong. No ano seguinte, Brody começou a se relacionar com outro grande nome do cenário rockista: Josh Homme.

O relacionamento com o ex-Kyuss e atual vocalista da Queens of the Stone Age é apontado pelos fans como o último prego sobre o caixão da The Distillers. Isso porque a cantora engravidou em 2006 e casou com Josh em 2007.

Seria esse o momento que a cantora abandonaria a música para ser mãe? De forma alguma! Alguns anos depois o nome da cantora voltaria para o cenário musical. Dessa vez em um estilo sonoro bem diferente. Esse era o estopim para o surgimento da Spinnerette.

Uma nova alternativa: Spinnerette

Formada por membros da The Distillers, Queens of the Stone Age e Eleven, Eagles of Death Metal, Spinnerette marcava uma nova fase da cantora australiana. Ser mãe talvez tenha dado uma certa calma para Brody, e quando atrelada a paixão por fazer música, fez com que a cantora migrasse para o rock alternativo.

Há quem diga que essa mudança teve uma certa influência de seu marido Josh HommeA influência do QOTSA e outras bandas presentes ao redor da cantora.

Com um som mais calmo e uma vocalista visivelmente mais alegre, a banda durou apenas 4 anos (2007-2010) e teve dois álbuns lançados. Ao fim da banda, Brody dedicou seus próximos dois anos na criação de seus filhos (agora dois). Nesse tempo, a cantora fez pequenas participações em bandas de alguns amigos.

Em 2012, a cantora retornou para a indústria musical, anunciando que havia entrado para Caroline Records, uma divisão da Universal Music Group. O objetivo? Seu primeiro disco solo.

Diploid Love

Quando ninguém esperava, Brody anuncia estar na produção de seu disco e em menos de um ano depois é lançado Diploid Love.

O primoroso trabalho solo da cantora mesclava a agressividade na época The Distillers com o rock alternativo da Spinnerette. Além da mescla, o álbum contava com a participação de Shirley Manson (Garbage), Nick Valensi (The Strokes), Michael Shuman (Queens of the Stone Age) and Emily Kokal (Warpaint).

E agora?

Depois de sair em turnê com Diploid Love até o final de 2015, Brody anunciou que entraria em hiato devido a mais uma gravidez.

Recentemente a banda de seu marido, a Queens of the Stone Age anunciou o lançamento de mais um disco. E vale lembrar que no anterior a cantora teve participações na produção, o que pode se repetir mais uma vez.

Ainda é incerto o futuro sonoro da cantora, mas a verdade é que Brody Dalle nasceu pra fazer música. Independente de qual seja o gênero. Ouso apostar que seremos surpreendidos em breve. #aguardeeconfie

 

 

 

 

Tags : brody dalleqotsaspinnerettethe distillers
lucasdepaes

O autor lucasdepaes

Ex garoto de programa, publicitário e criador do @sonoramus
  • Renata Russo

    Adoro o jeitão dela e principalmente amo as músicas que ela escreve e produz. Musicistas como ela estão muito em falta no mercado.

    • Tem muitas por aí, mas poucas tem a atitude de Brody. Dessa geração te indico duas que estão chamando minha atenção:

      1- Taylor Momsen do The Pretty Reckless
      2- Teri Gender Benger do Les Butcherettes

      Escuta depois e me diz que achou. Abraço!