close
Precisamos Falar sobre

Precisamos Falar Sobre… Shaka Ponk

shaka-p

Macacos pra tudo quanto é lado e clipes entupidos de computação gráfica, shows com câmeras presas aos microfones e músicas com 3 idiomas simultâneos. Misture rock, hip-hop, punk e elementos eletrônicos em um som que mescla francês, espanhol e inglês. Orgulhosamente apresento a vocês a Shaka Ponk.

O nome da banda vem dos seguintes termos: Shaka é o nome do primeiro Buda e Ponk, que significa punk. A banda surgiu em 2003 na França com uma proposta bem semelhante ao Gorillaz, de ter nos palcos um vocalista virtual. Foi aí então que surgiu Goz (diminutivo de Gustave Orlando Zimbana) ou Ghost em inglês, o primeiro vocalista e mascote da Shaka Ponk. A proposta do macaco cantor não vingou por muito tempo e Frah (até então o real vocalista) assume definitivamente a posição dos vocais e Goz passa a ser apenas o mascote da banda.

40f444c0b3862291bccab91e9d1a930d

O primeiro disco de estúdio veio em 2006 Loco Con Da Frenchy Talkin que não ganhou muita visibilidade na época e acabou passando por uma remasterizada em 2009. No mesmo ano, a banda lançou também Bad Porn Movie Trax. Ambos os discos possuem ótimas faixas, mas algo ainda faltava: um toque feminino. Eis então que em 2010, Samaha se une a banda também como vocalista, formando um dos duetos mais excêntricos que já conheci em toda minha bagagem sonora.

Logo de início, é bem estranho ouvir músicas que mesclam entre três idiomas, mas depois de duas ou três faixas, você acaba acostumando. A mistura de inglês, francês e espanhol é um pouquinho confusa em algumas faixas, em certos momentos é mesmo necessário dar aquela traduzida em algumas palavras. A temática das músicas são diversas, desde sexualidade e política até macacos (assunto óbvio, né?).

Os vocais rasgados de Frah e Samaha parecem ter sido criados um para o outro. A sintonia entre ambos os vocalistas é perfeita. Dificilmente você vai encontrar uma banda que faz isso de forma tão orgânica. Voltando ao histórico, o primeiro disco com Samaha só veio em 2011 com o nome de The Geeks and the Jerkin’ Socks e até hoje é considerado o melhor da banda. Em 2013 Monkeys in Bercy, um álbum ao vivo com os maiores hits dos anteriores. Inclusive vale destacar as performances ao vivo da banda. Com uma câmera presa ao microfone, tudo que acontece nos palcos é registrado pelos vocalistas. O show é absurdamente animado, com direito a performances imitando macacos e saltos ao longo de todo o show.

Em 2014, vieram dois discos, iniciando e fechando o ano com os considerados “gêmeos”, The White Pixel Ape (Smoking Isolate to Keep in Shape) The Black Pixel Ape (Drinking Cigarettes to Take a Break). Algumas músicas desse disco parecem mesmo ser gêmeas (além das capas idênticas, como Lucky G1rl Lucky Boy. Ainda mais experimentais, ambos os discos abusam de efeitos vocais, elementos eletrônicos e muitas guitarras e pedais. Gosto de pensar que a Shaka Ponk é o início de um novo gênero experimental, multilinguístico e completamente maluco.

tbwpixelape

Dica do editor: Sugiro que ouça os álbuns na seguinte ordem (Ah, e todos os discos estão disponíveis no Spotify!):

  1. The Geeks and the Jerkin’ Socks
  2. The White Pixel Ape
  3. The Black Pixel Ape
  4. Monkeys in Bercy
  5. Bad Porn Movie Trax
  6. Loco Con Da Frenchy Talkin
Tags : bandas francesasexperimentalprecisamos falar sobrerockshaka ponk
lucasdepaes

O autor lucasdepaes

Ex garoto de programa, publicitário e criador do @sonoramus