close
Precisamos Falar sobre

Precisamos Falar Sobre… Zaz

zaz

O cenário musical francês ainda é pouco explorado por nós brasileiros. Em décadas passadas, muitas músicas francesas fizeram parte de trilhas de novelas e algumas foram até tocadas em rádios. Há cerca de 5 anos atrás, comecei a adentrar esse território e acabei conhecendo sons incríveis. Sons impecáveis, atrelados a linda fonética francesa, repleta de glamour e sonoramente sedutora. Iniciando a inclusão das bandas francesas ao Sonora, trago a vocês a linda e meiga Zaz, uma jovem cantora que mescla jazz, blues e soul com elementos de pop nas suas músicas.

Isabelle Geffroy (ela prefere ser chamada de Zaz) é considerada um dos maiores nomes da música francesa da atualidade. O incrível é que em tão pouco tempo, ela conquistou tal título. O primeiro disco de nome homônimo, foi lançado em 2010, e uma faixa acabou se destacando nas interwebs, levando a voz da francesa para os quatro cantos do mundo. Je Veux é uma crítica delicada ao consumismo, e as melhores coisas da vida não são proporcionadas por bens materiais.

A francesa defende que a música possui um poder incrível de unir nações de todo o mundo (a prova dessa teoria é sua passagem pela América do Sul em 2015). Outra defesa de Zaz é que artistas podem sim viver de música sem exageros e ganância, propagar sua música para o mundo inteiro sem ambição. São vários os shows da gratuitos pelas ruas da França (tem muitos vídeos de shows públicos no Youtube). Além disso, a venda de seu merchandising tem toda a renda arrecadada revertida em doações para ONGs. Zaz defende que ter dinheiro para fazer turnês pelo mundo já é mais que suficiente.

Quando o assunto é sua terra natal, Zaz se mostra orgulhosa de seu país e toda a sua cultura. Pra ter uma ideia, todas as suas entrevistas são em francês, e não há músicas em outros idiomas em nenhum de seus discos. Seu disco de estúdio mais recente, Paris, evidencia ainda mais esse amor pela França. Quase todas as faixas são declarações de amor ao seu adorado país.

A fusão sonora de jazz, soul e pop fazem do som de Zaz algo único. Musicalmente impecável, a cantora parece ‘brincar de fazer música’. É incrível as experimentações realizadas a cada disco. Pegue faixas como T’attends QuoiSous le ciel de ParisGamine. Agora compare-as. Parecem estilos completamente distintos, não? O que mais me admira em suas músicas é essa capacidade de transitar entre sons sem perder sua essência. Definitivamente o título de um dos maiores nomes da música francesa não veio por acaso.

Dentre os três álbuns de estúdio, recomendo para primeira audição Rectro Verso, meu primeiro contato e consequentemente, meu favorito. Mais experimental, o disco é alegre, mescla um jazz mais light com elementos do pop. Um doce e encantador  ‘fondant au chocolat’.

Tags : francejazzmúsica francesaparisrectro versozaz
lucasdepaes

O autor lucasdepaes

Ex garoto de programa, publicitário e criador do @sonoramus