close
Resenhas

[Resenha] Seether – Poison the Parish

seether-poison-the-parish-horizontal

Falar de post-grunge e nu metal é sempre algo nostálgico pra mim. Só que nesse caso, a banda da vez é uma daquelas que considero como one-hit wonder (que só teve um hit na carreira). Se você acompanha o gênero, com certeza já ouviu essa música pelo menos uma vez na vida:

A banda em questão (conforme já revelada no título dessa publicação), é a Seether. O que eu não sabia (e provavelmente a maioria dos leitores também) é que essa banda é sul africana. Isso realmente me deixou bem surpreso.

Poison the Parish

Esse é o nome dado ao nono disco da banda, e o primeiro da banda que escuto por completo. Então, já fica aquele disclaimer de que não há nenhuma propriedade para falar dos caras (na verdade são poucos posts aqui que há alguma).

O disco conta com 12 faixas, algumas delas se destacam um pouco mais, como Betray and Degrade, Let You Down (essa é a melhor do álbum) e Nothing Left (que pedrada!). Poison the Parish é uma mescla de muito nu metal e post-grunge. Pelo que li a respeito da banda, é algo que se mantém desde suas raízes. Acredito que pra quem é fã da banda, o disco está no ponto.

Algumas faixas tem uma raiz tão forte no post-grunge que lembram facilmente outras bandas. Por exemplo, alguns trechos de Count Me Out, que lembram bastante músicas do Nirvana.

Veredito

Diferente da Nickelback, a Seether se preocupou mais em fazer um bom álbum e não em fazer hits, como foi o caso da banda canadense. Na disputa do gênero, a Seether ganha facilmente do Nickelback no quesito melhor álbum post-grunge (embora eu jamais vou aceitar Nickelback como post-grunge. Aquilo é country-rock, caralha!).

Poison the Parish é um bom disco, a mescla com o nu-metal e o post-grunge já assinatura da banda são muito bem executadas. Apesar de ser bem nichada, a banda ainda está no cenário, prova que há fidelidade dos fãs. Vale a pena sim ouvir todo o álbum, mas se a preguiça for mais forte que a vontade, escute apenas as faixas indicadas nessa resenha.

Notas do álbum

Nota honesta: 6.5

Nota:

6.5

Tags : poison the parishresenhaseether
lucasdepaes

O autor lucasdepaes

Ex garoto de programa, publicitário e criador do @sonoramus