close

2017

Resenhas

[Resenha] In This Moment – Ritual

ritual

Com um leve atraso, aqui está a resenha de Ritual, o sexto disco da In This Moment (vulgo uma das minhas bandas favoritas). Deixo aqui um sincero #perdaopelovacilo pela ausência, mas prometo que em breve teremos uma melhor periodicidade.

Leia Mais
Resenhas

[Resenha] Ravenscry – The Invisible

ravenscry-the-invisible

Ravenscry?

Lançado no final de fevereiro, The Invisible é o terceiro disco de estúdio dos italianos da Ravenscry. Apesar de pouco conhecida por aqui, a banda já carrega uma grande legião de fãs por todo o mundo. Pra você que nunca ouviu, a banda é um intermediário entre Within Temptation e Evanescence. Com isso, acredito que você já consegue ter uma ideia do som.

Leia Mais
Listas

Resumão Fevereiro – Lançamentos (relevantes) do mês

resumo

Depois de quase um mês sem posts, retornamos a nossa programação normal. Afinal, nossa querida terra tupiniquim só começa a funcionar mesmo depois do carnaval (mais uma desculpa esfarrapada e descarada, desculpe). Basicamente, esse post lista todos os lançamentos de que na minha opinião de merda, foram os mais relevantes do mês. Caso você se sinta ofendido de sua banda favorita não estar na lista, me xingue gratuitamente ou deixe um comentário nesse post. Abraço e paz!

Leia Mais
News

Jake Bugg – Cantor retorna ao Brasil esse ano

JB

O cantor inglês Jake Bugg retorna esse ano ao Brasil pela terceira vez para mais três shows da sua turnê On My OnePra você que não faz ideia de quem é o cara, Bugg tem 22 anos, nascido em Nottingham, Inglaterra. Suas músicas variam entre folk indie, indie rock, blues e country. A crítica o rotula como o novo Bob Dylan. Apesar do rapaz odiar o título, no fundo ele sabe que eles estão certos.

Leia Mais
Resenhas

[Resenha] Sepultura – Machine Messiah

machine

Das resenhas que normalmente faço por aqui, acredito que essa será a mais superficial de todas. O motivo? Acompanho bem pouco sobre o trabalho da Sepultura. Pra se ter uma ideia, o único disco que ouvi por inteiro dos caras foi o clássico Roots. Uma e outra música da era Derrick e só. De qualquer forma, me senti numa necessidade absurda de falar sobre Machine Messiah, que está incrível. Confira a minha pseudo-resenha:

Leia Mais